25.5 C
Brasília
domingo, maio 19, 2024
InícioAposentadoriaVou ter que entrar na Justiça? E agora?

Vou ter que entrar na Justiça? E agora?

É muito comum a dúvida se diante de determinada dificuldade que vivenciamos no nosso dia a dia a melhor opção para tentar solucioná-la é entrar com uma ação.

São problemas com companhias de telefone e de viagem, com empresas de venda online, dificuldades na família, brigas trabalhistas e uma lista interminável de situações hipotéticas que poderíamos mencionar.

Realmente, várias “dores de cabeça” que enfrentamos podem ser levados ao juiz para que ele dê a palavra final.
Mas será que essa é a única opção ou a melhor opção?  A verdade é que nem sempre a abertura de um processo será a melhor alternativa. Não estamos falando apenas em questão de “efetividade” para resolver a questão, mas também do tempo e do dinheiro gasto com os procedimentos judiciais.

Por isso, o conhecimento de aspectos básicos do direito pode te auxiliar na tomada desta decisão.

Entendendo Um Pouco do Direito


Se for o caso de você ter de entrar com uma ação, certamente quanto mais bem preparado você estiver, melhor será a sua relação com os trâmites processuais, as etapas do processo, e com o seu advogado(a).

Pode até parecer simplório dizer, mas antes mesmo de procurar um advogado dê uma boa pesquisada sobre a sua situação na internet. Além dos sites de busca, o Youtube é uma excelente ferramenta para respostas às dúvidas jurídicas.

No Intagram você também consegue encontrar o perfil de diversos profissionais do direito e professores da matéria. Quem sabe não consegue uma breve “consulta” jurídica de graça? Muitos desses profissionais abrem caixinhas de dúvidas para que com suas respostas divulguem o seu trabalho. Não custa tentar mandar explicar a sua situação e aguardar uma resposta.

Com todo esse “material” coletado na internet você terá muito mais propriedade para conversar com o seu advogado.

Agora, se você não tem condições de arcar com um advogado, não deixe de ler nosso artigo
sobre acesso à justiça de modo gratuito clicando aqui. (.https://regraclara.com.br/nao-tenho-dinheiro-para-pagar-um-advogado-o-que-devo-fazer/).

Será Que Eu Você Deve Entrar Com Uma Ação ?


É muito importante que você fique atento, pois diversas questões podem ser resolvidas fora da justiça. Por exemplo, imagine que você tenha problemas com o seu Banco. Sempre tente o contato por e-mail e telefone para tentar resolver a questão. Existem empresas que, inclusive, fornecem plataformas online para a de resolução de conflitos
Imagine que você já escolheu o seu advogado ou escritório de advocacia.

Pesquisou bastante, procurou indicações e está decidido em relação ao profissional. Você sabe qual pensamento você
deve adotar desde a primeira reunião em diante? O pensamento do juiz! Sim!

Veja só, no fim das contas quem decidirá o seu caso é o juiz(a). É muito importante lembrar que ele não te conhece, ele não sabe nada em relação ao seu passado, ao seu caráter, à sua índole.

A única coisa que ele vai ter acesso é aos documentos que o seu advogado vai juntar ao processo. Então quando for conversar com o advogado, não espere que ele fique te pedindo todos os documentos. Você já deve preparar tudo o que tiver para que comprove que o que está dizendo é verdade.

Depois que o seu advogado conversou com você a primeira coisa que ele teve que fazer foi redigir a petição inicial. A petição inicial é o primeiro documento do processo, nele o advogado descreve o que aconteceu, quais são os direitos do cliente, no caso, você, e diz o que quer ao final do julgamento. Além disso, o advogado apontará as formas que pretende provar os fatos e quais são as leis que justificam o seu direito.

Aí vai começar o processo! Com diversas peculiaridades e prazos. Peça ao seu advogado que explique por alto como será dali em diante. Não adianta ficar aflito(a).

Mas se você notar que seu advogado(a) está te enrolando, não deixe de ler o nosso artigo “Meu Advogado não me atende! O que devo fazer?”

Por último, já existem plataformas focadas na solução de conflitos a baixo custo, sem que se precise utilizar um processo judicial. Uma delas é a Arbitralis, uma Câmara de Arbitragem, Conciliação e Mediação, devidamente regularizada e autorizada para auxiliar na resolução de problemas, sem a necessidade de se valer do Judiciário.

 

Chegamos ao fim do nosso artigo.

Não se esqueça de compartilhar a sua experiência com a gente.

Você está vivendo alguma situação e não sabe se é o caso de entrar na justiça ou não. Deixe um comentário explicando, quem sabe não conseguimos te ajudar?

Até a próxima.

RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais lidos

Recent Comments

curso de informática sobre Abertura de MEI para Aposentado